Uigures acusados de ataques com seringas em Urumqi, na China, são processados

Pequim, 6 set (EFE).- A promotoria de Urumqi, na China, anunciou a abertura de um processo judicial contar quatro uigures suspeitos de pôr em perigo a segurança pública por terem participado dos ataques com seringas hipodérmicas, que acabaram em distúrbios que já causaram cinco mortos.

EFE |

Segundo informou a agência oficial de notícias "Xinhua", Wutkur Abdurahman, procurador-geral da capital regional de Xinjiang, afirmou que os processados estão envolvidos em três casos diferentes.

Assim, Muhutaerjiang Turdi, homem de 34 anos, e Aimannisha Guli, uma jovem de 22, serão julgados por ameaçar um taxista com uma seringa hipodérmica para roubar-lhe 710 iuanes (73 euros), supostamente para comprar droga, em fatos ocorridos no dia 29 de agosto.

Outro suspeito, um jovem de 19 anos identificado como Yilipan Yilihamu, foi capturado e será levado perante os tribunais após picar uma mulher em uma de suas nádegas com uma seringa enquanto ela estava em uma tenda de frutas no dia 28 de agosto.

Finalmente, Akbar Imin, outro homem uigur de 47 anos, será processado por agressão à autoridade por resistir à prisão, após ser encontrado com uma seringa com droga em 31 de agosto.

Trata-se dos primeiros processados oficiais, embora a agência "Xinhua" tenha confirmado que há um total de 21 detidos, um número que o secretário-geral do Partido Comunista da China em Xinjiang, Wang Lequan - protegido do presidente Hu Jintao -, aumentou para cerca de 30 detenções.

As autoridades de Xinjiang reconheceram que cinco pessoas morreram e outras 14 foram hospitalizadas durante os protestos maciços contra os ataques com seringa vividos esta semana. EFE gmp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG