UE se coloca a disposição da Bolívia para encerrar crise política

A União Européia (UE) se colocou a disposição da Bolívia para facilitar uma aproximação entre o governo e a oposição, envolvidos em uma grande crise política, informaram neste sábado jornais locais.

AFP |

"A UE se coloca a disposição do governo constitucional boliviano e das forças da oposição para facilitar uma aproximação que permita retomar o acordo e restabelecer a confiança, a fim de poder alcançar um consenso sobre a reforma constitucional e a autonomia dos departamentos", assinala uma declaração da UE difundida pelo jornal La Razón.

Os 27 países da União Européia afirmam que "tomam nota com inquietude do risco de violência, o que poderá colocar em perigo a coexistência pacífica no país".

A preocupação da UE se soma de outros organismos internacionais, como a Organização dos Estados Americanos (OEA), vários países da América do Sul e a Igreja Católica, que já pediram o fim das atitudes de confronto entre a oposição e o governo de Evo Morales.

O governo boliviano se opõe aos líderes civis de seis das novas regiões do país pela nova Carta Magna e por estatutos que dão mais autonomias aos departamentos.

str/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG