UE renova sanções a Mianmar e levanta dúvidas sobre plebiscito em maio

Luxemburgo, 29 abr (EFE) - Os ministros de Exteriores da União Européia (UE) aprovaram hoje renovar por outro ano as sanções a Mianmar, que afetam os responsáveis do regime responsáveis por violações dos direitos humanos.

EFE |

Os ministros lembraram que estão dispostos a aprovar novas sanções em função dos eventos no país asiático, que em 10 de maio realizará um plebiscito sobre uma nova Constituição não democrática.

O Conselho de Ministros insistiu em que nem o projeto de Constituição, nem o plebiscito, nem as eleições previstas para 2010 "tal como estão atualmente planejados, não permitirão resolver os muitos problemas que Mianmar deve enfrentar".

Segundo a UE, o projeto de Carta Magna inclui restrições sobre a escolha dos cargos de alto nível, autoriza os militares a suspender a Constituição e não leva em conta a diversidade étnica do país.

Por isso, os ministros indicaram que a UE está "profundamente preocupada" com a situação em Mianmar, e pediram novamente a libertação da líder opositora e Prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, que vive em prisão domiciliar desde 2003 sem conexão de internet e com o telefone e as visitas controladas.

O Conselho da UE também criticou "a intensificação dos atos de intimidação e de violência próximos ao plebiscito" de maio. EFE rcf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG