UE quer definir marco sobre presos de Guantánamo na próxima semana

Bruxelas, 25 mai (EFE).- A União Europeia (UE) poderia definir na próxima semana os critérios comuns para que alguns países do bloco possam receber detentos na prisão americana de Guantánamo, informou hoje o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba.

EFE |

Os ministros de Justiça e Interior da UE, que se reunirão em 4 e 5 de junho em Luxemburgo, poderiam alcançar "um acordo entre todos os países" com um marco comum, disse Rubalcaba em declarações feitas após se reunir com o comissário europeu de Justiça, Segurança e Liberdades, Jacques Barrot.

O titular de Interior disse que esse acordo "abriria o caminho" que a Espanha quer percorrer "com todas as cautelas do mundo" sobre receber alguns dos detentos em Guantánamo que os Estados Unidos acreditam que possam ser libertados.

Rubalcaba explicou que receber presos desse centro de detenção é "complicado", já que inclui aspectos jurídicos, de segurança ou de relações exteriores que exigem que isso seja feito "com cautela" para conseguir uma solução "impecável" do ponto de vista jurídico.

A decisão de acolher presos de Guantánamo será de cada país, mas a UE concordou em criar um marco comum para que o processo respeite princípios similares em questões como informação ou segurança.

Os Estados Unidos estão revisando os casos dos aproximadamente 240 detentos que continuam em Guantánamo, dentro da decisão do presidente Barack Obama de fechar a prisão até o começo do próximo ano.

Até agora, pelo menos nove países da União Europeia (Espanha, Portugal, França, Alemanha, Finlândia, Irlanda, Estônia, Letônia e Lituânia) se mostraram dispostos a receber alguns presos, a fim de buscar uma saída humanitária e ajudar Obama a cumprir o anúncio de fechar Guantánamo. EFE rcf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG