Brdo (Eslovênia), 5 abr (EFE).- Os ministros de Finanças dos 27 países da União Européia (Ecofin) concordaram neste sábado que é necessário melhorar a eficiência dos gastos para garantir a viabilidade futura do modelo social europeu, em vista especialmente da pressão crescente que o envelhecimento da população gerará aos cofres públicos.

Os representantes dos 27 países dedicaram a segunda jornada do encontro informal organizado pela Presidência eslovena da UE para discutirem as reformas que devem ser aplicadas nos gastos públicos para não colocar em risco o estado de bem-estar.

Em entrevista coletiva no fim do encontro, o ministro esloveno, Andrej Bajuk, afirmou que não se trata de definir um enfoque único para todos os Estados-membros, pois as diferenças na estrutura do gasto público são muito grandes, mas considerou útil estabelecer critérios de reforma "aos quais todos podemos prestar atenção".

A UE propõe como princípios gerais dar prioridade ao estímulo do emprego e à formação do capital humano tornar a administração pública mais eficiente e evitar que os sistemas de proteção social não incentivem a busca por trabalho.

Os ministros se mostraram favoráveis a impulsionar a troca de boas práticas e, sobretudo, a avaliar a qualidade dos serviços e prestações obtidos pelos cidadãos.

Neste ponto, pode ser útil recorrer a entidades externas de avaliação para melhorar a efetividade do gasto e também sua sustentabilidade futura, segundo os representantes dos 27 países.

EFE epn/mac/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.