UE propõe lista mundial de companhias aéreas pouco seguras

Bruxelas, 30 jun (EFE).- A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) lamentou hoje o acidente com um avião Airbus no Oceano Índico com 153 pessoas a bordo, e propôs criar uma lista mundial de companhias pouco seguras.

EFE |

O presidente do Executivo da União Europeia (UE), José Manuel Durão Barroso, expressou, em comunicado, suas "sinceras condolências" e sua "profunda tristeza" às famílias das vítimas, às autoridades de Comores, Iêmen e França.

O comissário de Transportes da UE, Antonio Tajani, juntou-se a Barroso em seus pêsames e propôs também criar uma "lista negra" mundial para detectar com mais facilidade as companhias aéreas pouco seguras.

Tajani disse que a companhia Yemenia Airway, que operava o avião, não estava dentro da lista europeia, porque tinha passado por todos os controles de segurança, e ressaltou que a UE, em qualquer caso, não pode impor suas regras fora de seu território.

"Fora da UE, a lista europeia é só uma indicação", disse Tajani, em entrevista coletiva, acrescentando que ter uma relação de companhias em escala mundial "seria uma garantia para todos os passageiros do mundo".

O comissário disse que o voo acidentado tinha partido de Paris com destino a Sana, onde fez escala para trocar de avião, por isso a aeronave afetada não é a mesma que tinha sido controlada pelas autoridades francesas.

Representantes da Comissão Europeia entraram em contato hoje mesmo com os responsáveis da companhia, para precisar os fatos e determinar se o nível de segurança foi adequado.

Tajani lembrou que justamente esta semana os responsáveis de segurança aérea da UE se reúnem para atualizar a lista.

Além disso, a Comissão manterá contato com as autoridades nacionais para atualizar os números de sobreviventes e mortos. EFE mrn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG