UE proíbe importação de produtos chineses com soja destinados às crianças

A União Européia (UE) decidiu nesta quarta-feira proibir todas as importações chinesas de produtos contendo soja destinados às crianças, depois de níveis elevados de melamina terem sido registrados em alguns produtos.

AFP |

Os países europeus também vão ter que testar todos os alimentos humanos e animais contendo soja antes de autorizar sua importação, destacou a Comissão Européia em comunicado.

O popular molho Shoyu, que representou em 2007 cerca de 25% de total das importações européias de produtos chineses contendo soja, com 17.500 toneladas, está incluído nesta proibição.

Depois de efetuados os testes, somente os produtos contendo menos de 2,5 mg de melamina por quilo serão autorizados.

Notando que altos níveis de melamina também foram registrados no bicarbonato de amônio (mais conhecido como fermento) importado da China, Bruxelas também anunciou que todas as entregas deste produto deverão ser testadas antes de entrar no mercado europeu.

Os especialistas da UE encarregados de opinar sobre a segurança alimentar e a saúde animal votaram nesta quarta-feira em favor de todas estas medidas de precaução, que entrarão em vigor antes do fim desta semana, assim que forem formalizadas.

Quase 300 toneladas de soja importadas da China e destinadas a alimentar aves de criação no oeste da França já tinham sido retiradas no mercado na semana passada, depois da descoberta de um nível de melamina 50 vezes superior à norma autorizada.

Em 2007, a UE importou da China 68.000 toneladas de soja ou de produtos derivados de soja, por um valor de 34 milhões de euros.

No fim de setembro, a UE já proibira os lacticínios chineses destinados às crianças, devido ao escândalo do leite contaminado, também com melamina.

Desde então, todos os produtos que contêm leite ou laticínios procedentes da China são testados antes de entrar no mercado europeu.

A melamina é um produto químico utilizado na fabricação de colas e plásticos.

cat/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG