Tamanho do texto

Por Gerard Wynn BRDO, Eslovênia (Reuters) - A União Européia (UE) pode alcançar a meta de adição de biocombustíveis aos combustíveis tradicionais sem aumentar a pressão para a elevação dos preços dos alimentos e sem prejudicar as florestas tropicais, disse o comissário de Meio Ambiente do bloco, Stavros Dimas, neste sábado.

Os líderes da UE estipularam no ano passado que os combustíveis fósseis empregados no transporte devem possuir 10 por cento de biocombustíveis em sua composição até 2020, numa tentativa de conter o aquecimento climático. No entanto, os ministros debatem atualmente sobre como evitar contrapartidas indesejáveis provocadas pela medida, como a competição por terras destinadas à agricultura, além do desmatamento.

Cientistas da Agência Ambiental Européia, órgão de consultoria da UE sobre o meio ambiente, recomendaram na quinta-feira que a meta seja reduzida.

Dimas, no entanto, continuava otimista em relação ao objetivo inicial.

'É bem-intencionado. Existindo a condição da sustentabilidade, acho que está perfeitamente correto', disse o comissário à Reuters durante uma reunião de ministros na Eslovênia.

A Comissão Européia propôs em janeiro alguns critérios de sustentabilidade para os biocombustíveis, como a necessidade de reduzirem em 35 por cento as emissões de gases-estufa e não ameaçarem áreas florestais.

Outro critério que deve ser acrescentado incluía um corte de emissões de entre 40 e 50 por cento em comparação com a gasolina, segundo várias fontes próximas ao assunto no sábado.

O ministro do Meio Ambiente da Alemanha, Sigmar Gabriel, também mostrou otimismo em relação ao cumprimento das metas.

'Podemos cumprir o alvo de 10 por cento por meio da produção na União Européia (e com importações)... que não levem a um conflito com os alimentos ou as florestas.'

(Por Gerard Wynn e Ilona Wissenbach)