UE pede respeito à Constituição e eleições livres na Guiné

PARIS - A União Européia (UE) solicitou hoje respeito às disposições constitucionais na Guiné, diante do golpe de Estado realizado neste país africano após a morte do presidente Lansana Conté, e pediu uma transição pacífica que permita eleições livres.

EFE |

Em nome da Presidência da UE, o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores francês, Eric Chevallier, fez uma declaração na qual se dirigiu "a todos os responsáveis políticos, assim como às instituições civis e militares".

Chevallier pediu que "respeitem, em interesse do país e do povo guineano, as disposições constitucionais, para garantir uma transição pacífica com vistas à organização rápida de eleições livres e transparentes".

O porta-voz acrescentou que a França condena o golpe de Estado, quer o respeito da ordem constitucional e a organização "rápida" de "eleições livres e transparentes".

O Exército do país africano tinha anunciado hoje a dissolução do Governo, horas depois da morte de Conté, com um comunicado no qual suspendia a Constituição vigente.

    Leia tudo sobre: golpeguinéueáfrica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG