UE pede que resultados das eleições reflitam aspirações iranianas

Bruxelas, 19 jun (EFE).- Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) condenaram hoje firmemente a violência contra os manifestantes no Irã, e sublinharam que os resultados das eleições devem refletir as aspirações e desejos do povo iraniano.

EFE |

Em um texto mais extenso e redigido em um tom mais firme que o aprovado pelos ministros de Exteriores na segunda-feira passada em Luxemburgo em uma primeira declaração, quando ainda nenhum manifestante tinha morrido, os 27 países do bloco reiteram seu pedido para que se averiguem as alegações sobre a clareza do pleito.

Naquela declaração, se limitaram a "comentar" tanto o resultado anunciado pela Comissão Eleitoral iraniana, que deu a vitória ao atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, como as denúncias de fraude expressadas pelos candidatos reformistas, sem assumir uma posição.

Hoje, além disso, falam sobre o "golpe" contra "os jornalistas, a informação, as comunicações e os manifestantes, em evidente contraste com o período relativamente aberto e promissor da campanha eleitoral".

"O Conselho condena firmemente o uso da violência contra os manifestantes no Irã, que provocou a perda de vidas e urge às autoridades a assegurar que todos os iranianos tenham garantido o direito de se expressar pacificamente, e evitar o uso da força contra manifestantes pacíficos".

Os líderes da UE afirmam que estão observando com "séria preocupação" a resposta aos protestos.

Além disso, destacaram a importância de que o Irã se comprometa com a comunidade internacional, em particular no que se refere ao programa nuclear, "em um espírito de respeito mútuo". EFE met/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG