UE pede que presidente do Zimbábue deixe o poder devido ao caos no país

Bruxelas, 8 dez (EFE) - A União Européia (UE) pediu hoje de forma unânime ao presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, que deixe o poder devido ao caos econômico, político e a epidemia de cólera sofridos pelo país, e aumentou as sanções contra responsáveis do regime de Harare. Além disso, o bloco pediu a intervenção da Organização Mundial da Saúde (OMS), pois o cólera figura na lista das doenças contagiosas que permitem uma atuação internacional, explicou o ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, em nome da Presidência de turno da UE. Mugabe tem que ir embora. Chegou o momento de ir embora, afirmou o alto representante para Política Externa e Segurança Comum da UE, Javier Solana, em entrevista coletiva.

EFE |

"A situação é catastrófica", reconheceu Kouchner, que ressaltou que, se as autoridades falam em centenas de mortos, "provavelmente são milhares".

Os ministros de Exteriores da UE decidiram hoje ampliar as sanções ao regime de Mugabe, incluindo 11 pessoas na lista das que não podem entrar nos países do bloco.

Os novos punidos são pessoas "implicadas ativamente em violências ou nas violações dos direitos humanos", assinalou um documento de conclusões aprovado pelos ministros.

Kouchner destacou a gravíssima situação no Zimbábue, com uma inflação medida em milhões, falta de alimentos básicos e agora a epidemia de cólera, e afirmou que o povo está pagando um preço "alto demais". EFE rcf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG