UE pede que Obama veja Europa como parceiro natural

Bruxelas, 20 jan (EFE).- A União Europeia (UE) disse hoje que a chegada de Barack Obama à Casa Branca reforçará as relações transatlânticas, e pediu que o novo presidente considere o continente como um parceiro natural contra os desafios globais como a crise financeira e o Oriente Médio.

EFE |

Os principais dirigentes das instituições comunitárias parabenizaram o novo presidente dos Estados Unidos. Além disso, pediram que Obama aproveite sua presença na cúpula do aniversário de 60 anos da Otan (3 e 4 de abril na França e Alemanha) para visitar as sedes européias.

O ministro de Assuntos Exteriores tcheco, Karel Schwarzenberg, cujo país ocupa a Presidência rotativa da UE, considerou uma "questão estratégica estabelecer o mais rápido possível" boas relações com a nova Administração em Washington.

O presidente da Comissão Europeia (CE), José Manuel Durão Barroso, afirmou que a UE é um "parceiro natural dos EUA para responder aos desafios globais".

"Hoje os olhos do mundo estão voltados para o presidente Obama, mas amanhã, imediatamente, é o mundo que deve contar com sua atenção", acrescentou Barroso.

O presidente do Parlamento Europeu, Hans Gert Pöttering, afirmou que "hoje se abre uma oportunidade única para iniciar um novo capítulo e se comprometer em uma nova maneira de pensar", e lembrou que a pretensão da UE é "forjar uma aliança forte e baseada na igualdade".

"UE e EUA compartilham valores, um compromisso com a democracia, os direitos humanos e o estado de direito. Juntos, representamos uma enorme área de liberdade e prosperidade e devemos compartilhar responsabilidades frente ao resto do mundo", assinalou o presidente da Eurocâmara. EFE met/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG