UE pede que Governo de Minamar liberte presos políticos do país

Paris, 24 set (EFE).- A União Européia (UE) expressou hoje sua alegria pela libertação do jornalista birmanês U Win Tin, um dos fundadores da Liga Nacional pela Democracia, após 19 anos de prisão, e pediu que as autoridades birmanesas libertem todos os prisioneiros políticos do país.

EFE |

A Presidência francesa de turno da UE citou a vencedora do prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi e pediu ao regime birmanês que se comprometa com um "verdadeiro diálogo com a oposição" para conseguir "a reconciliação nacional e uma transição democrática neste país".

Em comunicado, a UE expressou seu desejo de que esta libertação seja seguida por novos gestos das autoridades birmanesas que testemunhem uma vontade real de avançar tanto no plano político como na área dos direitos humanos, como formulou o Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O jornalista, de 79 anos, foi libertado ontem junto com outros 9.000 prisioneiros, dos quais "apenas poucos são considerados presos políticos", para lhes permitir participar das eleições prometidas para 2010.

U Win Tin foi sentenciado a um total de 20 anos de prisão, essencialmente por publicar "propaganda antigovernamental".

Além de sofrer dois ataques de coração, durante seu período na prisão foi vítima de maus tratos, especialmente em 1996, quando as autoridades descobriram que tinha vazado informação para as Nações Unidas. EFE jaf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG