UE pede que Estado americano interrompa pena de morte

BRUXELAS, Bélgica - A União Européia apelou ao governador do estado de Kentucky que adie a execção de um condenado à morte por assassinar um policial.

AP |

A UE protestou a decisão tomada na semana passada pela Corte Suprema americana que permitirá a continuidade do uso de injeção letal como forma de executar a pena de morte. A UE também reafirmou sua oposição à pena capital.

"A União Européia está desapontada com a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos neste caso e renova seu pedido ao Governador Ernie Fletcher para que adie a sentença", afirma uma declaração do bloco.

Esse é o segundo apelo do gênero emitido pela UE em menos de um ano, depois de pedir que o Governador Rick Perry que suspendesse a pena de morte no Texas em agosto.

Ao aprovar o método mais amplamente utilizado da injeção letal, a Suprema Corte americana autorizou os Estados a dar continuidade às execuções depois de sete meses de interrupção.

Quase imediatamente o Estado da Virgínia encerrou a moratória sobre a pena capital. Mississipi e Oklahoma disseram que vão dar continuidade às execuções de assassinos condenados e outros Estados farão o  mesmo.

Ainda assim, a UE disse que "encoraja" os EUA a continuarem a impedir as execuções e dar início a um debate nacional sobre o caso.

    Leia tudo sobre: pena de morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG