UE pede libertação de Nobel da Paz no dia de seu 64º aniversário

Bruxelas, 19 jun (EFE).- Os chefes de Estado da União Europeia (UE) pediram hoje a libertação imediata e incondicional da principal opositora birmanesa, Aung San Suu Kyi, com um texto de 64 palavras, em homenagem à vencedora do prêmio Nobel da Paz, que fará 64 anos.

EFE |

"O Conselho Europeu pede a libertação imediata e incondicional de Aung, que defendeu sem descanso os valores universais de liberdade e democracia. A menos que seja liberada, a credibilidade das eleições de 2010 será ainda menor e a UE responderá apropriadamente. Pedimos a Mianmar (antiga Birmânia) que inicie uma transição para a democracia, levando paz e prosperidade a seu povo".

Além destas 64 palavras, os líderes da UE expressam seu "decidido apoio" à missão das Nações Unidas para conseguir um processo de reconciliação nacional que leve à democratização do país, controlado pelos militares desde 1962.

Os líderes da UE ressaltaram o compromisso pessoal do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, com a causa e agradeceram aos países vizinhos por suas claras chamadas para um processo político "livre e justo" nas eleições parlamentares que serão realizadas em 2010.

No dia 14 de maio, a vencedora do Prêmio Nobel e dois de seus ajudantes foram presos e enviados para a prisão de Insein, onde atualmente são processados em um tribunal ad hoc, acusados de terem hospedado uma pessoa em casa durante dois dias.

Aung passou 13 dos últimos 19 anos sob prisão domiciliar. EFE met/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG