UE pede fim imediato de motim em Guiné-Bissau

Bruxelas, 2 abr (EFE).- A União Europeia (UE) considerou o motim da Guiné-Bissau como uma ruptura inaceitável da ordem constitucional e pediu seu fim imediato, segundo a responsável de Política Externa do bloco europeu, Catherine Ashton.

EFE |

Ashton condenou "nos termos mais firmes" o motim ocorrido na quinta-feira no país africano, segundo comunicado divulgado na noite passada.

Um grupo de militares da Guiné-Bissau mantém retido o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas após ter tentado destituir o primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, que se negou a renunciar.

"A UE pede o fim imediato das condutas irresponsáveis e o respeito total de todas as normas democráticas básicas", destacou Ashton. EFE rcf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG