UE pede cessar-fogo e mais ajuda para população de Gaza

Praga, 4 jan (EFE).- Pouco antes de decolar rumo ao Oriente Médio, os integrantes da missão diplomática da UE, pediram hoje um cessar-fogo imediato em Gaza e maior acesso de ajuda humanitária à Faixa.

EFE |

A comissária européia de Relações Exteriores e Política Européia de Vizinhança, Benita Ferrero-Waldner, assinalou hoje em entrevista coletiva em Praga que o principal objetivo da missão comunitária é conseguir "um cessar-fogo imediato".

Outro objetivo será aumentar a ajuda humanitária e assegurar que funcione a ajuda médica para a população civil de Gaza.

Liderado pelo ministro tcheco de Relações Exteriores, Karel Schwarzenberg, a delegação européia se reunirá a partir de hoje com líderes de Israel, Palestina, Egito e Jordânia.

Participam também da missão européia os ministros de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, e da Suécia, Carl Bildt, e o Alto Representante da União Européia para Política Externa e de Segurança, Javier Solana.

Schwarenberg, por sua parte, assinalou que tratará de negociar com Israel um acesso à Faixa de Gaza para permitir a entrada de ajuda humanitária.

Por outra vez, o chefe da diplomacia tcheco expressou seu desejo de determinar as condições para uma trégua entre Israel e o movimento radical islâmico Hamas, embora reconheça que será difícil conseguir um cessar-fogo.

O Exército israelense iniciou ontem à noite uma ofensiva terrestre contra o Hamas na Faixa de Gaza para tentar pôr fim ao lançamento de foguetes contra a população civil do sul de Israel.

Schwarzenberg não especificou hoje o plano concreto com o qual viaja à região, dizendo que "devemos antes negociá-lo com a parte israelense".

A delegação não manterá nenhum encontro com o Hamas, que conhecerá sua postura através do Egito, com cujo ministro de Relações Exteriores, Ahmed Aboul Gheit, se reunirá hoje.

Quanto ao resto da missão, que levará a delegação comunitária a Israel, Jordânia e Cisjordânia, "os resultados não são seguros, mas devo tentar e contribuir para solucionar a crise humanitária", assinalou Schwarzenberg à imprensa.

Em Israel haverá reuniões com o presidente Shimon Peres, com o primeiro-ministro Ehud Olmert, com o ministro da Defesa, Ehud Barak Setkani, e com a chefe a diplomacia, Tzipi Livni.

A delegação se encontrará também com o primeiro-ministro e ministro das Finanças palestino, Salaam Fayyad, com o presidente, Mahmoud Abbas, e com o ministro de Relações Exteriores, Riyad al-Maliki.

Horas antes, na emissora televisiva "CT24", o chefe da diplomacia tcheca lembrou que o Hamas é uma "organização terrorista".

"O Hamas, com seu bombardeio contínuo, foi quem desencadeou esta catástrofe. Está claro quem começou tudo", indicou Schwarzenberg.

Ontem à noite, a Presidência tcheca da UE emitiu uma nota na qual indicava que a ofensiva terrestre israelense "não é um surpresa", mas que já "havia indícios desta operação".

"Mas nem sequer o direito inegável à autodefesa permite uma ação na qual sofram civis", frisa o comunicado. EFE gm-jk/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG