Said Malekpour foi acusado de desenvolver programa de pornografia. União Europeia diz que decisão transgride as obrigações internacionais

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, pediu às autoridades iranianas nesta terça-feira que revisem a sentença a morte do blogueiro Said Malekpour, além de interromper todos os procedimentos de execuções que estão pendentes.

Americano é condenado à morte no Irã por espionagem

"Estou extremamente aflita e preocupada com os relatórios que apontam que a execução do blogueiro Said Malekpour pode ser iminente", declarou a Chefe de diplomacia da UE em comunicado. Malekpour, um cidadão iraniano com nacionalidade canadense, foi acusado em dezembro de 2010 de desenvolver um programa em persa para publicar pornografia na internet.

Prisão por conspiração: UE pede ao Irã que anule sentença do cineasta Jafar Panahi

Catherine também lembrou que já pediu ao governo iraniano para revisar a sentença de Malekpour, assim como a de outros blogueiros, Ahmadreza Hashempour e Vahid Asghari. Segundo a chefe de diplomacia da UE, as organizações de direitos civis questionam "a imparcialidade, a transparência e a rapidez" com que foi desenvolvido esse processo nos tribunais.

"Reitero meu pedido ao Irã para revisar suas sentenças e, particularmente, peço ao Irã que detenha a execução de Said Malekpour", ressaltou a alta representante europeia. Catherine ressaltou que essa sentença de morte cisão transgride as obrigações internacionais do Irã sob a convenção internacional dos direitos civis e políticos.

Nesse sentido, Catherine explicou que a UE mantém uma "posição firme contra a pena de morte" e solicitou ao Irã que suspenda todas as execuções pendentes e também introduza uma mudança na lei.

*com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.