UE negociará acordo com Rússia se país retirar tropas da Geórgia até dia 10

Bruxelas, 12 set (EFE) - A União Européia (UE) retomará as negociações para um amplo acordo de cooperação com a Rússia se o país retirar suas tropas das zonas da Geórgia fora da Ossétia do Sul e da Abkházia até 10 de outubro, disseram hoje fontes diplomáticas. Se os compromissos russos se cumprirem, é perfeitamente possível que as reuniões sejam retomadas após 10 de outubro, disseram essas fontes. A cúpula extraordinária da UE de 1º de setembro concordou em adiar as negociações (uma estava prevista para segunda e terça-feira) até que a Rússia devolvesse as tropas do país às posições anteriores ao início do conflito na Geórgia, em 8 de agosto. O acordo alcançado na segunda-feira em Moscou pelos dirigentes da UE com o presidente russo, Dmitri Medvedev, estabelece que, após o início do desdobramento da missão européia, as tropas russas se retirarão das zonas adjacentes até 10 de outubro. Isso ocorrerá depois que a União Européia enviar uma missão de observação de 200 integrantes no dia 1º de outubro. A Rússia anunciou que enviará 3.800 soldados a cada uma dessas regiões separatistas, mas diversas fontes do bloco ressaltaram que, mesmo se essa mudança for confirmada na prática, não violaria o acordo sobre a retirada às posições de 7 de agosto, que se refere a linhas de demarcação, mas não a volumes militares.

EFE |

Enquanto isso, a UE está finalizando o mandato dessa missão de observação civil na Geórgia, no qual se quer deixar claro que o objetivo é que o país atue em todo o território, segundo explicaram as fontes.

Um país do bloco -a Lituânia - insiste ainda em que haja uma menção expressa a que a missão entre nos territórios da Ossétia do Sul e da Abkházia, uma posição rejeitada pelos demais países, por gerar a imediata rejeição russa.

Por outro lado, prefere-se usar o termo "todo o território" da Geórgia, com o qual a UE sempre deixa aberta a porta a enviar seus observadores a esses territórios, já que não reconheceu sua independência, disse uma fonte diplomática.

Os ministros de Exteriores do bloco devem aprovar na próxima segunda-feira o mandato para a criação da missão de observação, que deve estar desdobrada em 1º de outubro.

Por enquanto, diversas fontes da UE insistiram em que "a prioridade" é o desdobramento da missão para assegurar a retirada russa das zonas georgianas além dos limites administrativos com as duas regiões separatistas, que deve acontecer em 10 de outubro.

A Rússia antecipou que não permitirá que os observadores da UE se desdobrem em território da Ossétia do Sul e da Abkházia, cuja independência foi reconhecida por Moscou, mas os europeus esperam que a questão possa ser resolvida a seu favor uma vez que a missão se desdobre e comece a funcionar.

Os textos que devem ser aprovados na segunda-feira ainda não foram concluídos e espera-se que os próprios ministros tenham que acordar os últimos detalhes. EFE rcf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG