UE não enviará missão de observadores a eleições em Honduras

Bruxelas, 10 set (EFE).- A Comissão Europeia anunciou hoje que não enviará uma missão de observadores às próximas eleições gerais em Honduras, no dia 29 de novembro, devido à falta de condições para que sejam realizadas em um ambiente democrático e livre.

EFE |

O diretor-geral adjunto de Relações Exteriores da Comissão Europeia, Stefano Sannino, disse hoje, em entrevista concedida à Agência Efe, que a União Europeia (UE), "assim como outros países latino-americanos, não reconhece que essas eleições possam se basear em um contexto aberto, livre e democrático".

Por essa razão, afirmou que, para o bloco, "não há condições para eleições no momento".

A UE não reconheceu o Governo do atual presidente de Honduras, Roberto Micheletti, com o qual limitou ao máximo os contatos diplomáticos.

Após o golpe de Estado que tirou do poder o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, a UE decidiu congelar as negociações para um acordo de associação com a América Central, nas quais estão envolvidos Honduras, El Salvador, Guatemala, Costa Rica e Nicarágua.

EFE rja/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG