UE não deve aprovar hoje novas sanções contra o Irã

Luxemburgo, 16 jun (EFE).- A União Européia (UE) não deve aprovar hoje novas sanções contra o Irã por seu programa nuclear, contrariando os pedidos da Casa Branca, embora a decisão de punir o país persa já esteja tomada, segundo assinalaram várias fontes comunitárias.

EFE |

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, anunciou hoje, em Londres, junto ao presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que o Reino Unido adotará a partir desta segunda-feira sanções contra o Irã nos setores petroleiro e energético.

O país também congelará os ativos no exterior da principal entidade financeira iraniana, o banco Melli.

Brown assegurou que pedirá à União Européia que tome medidas similares, e que a EU aceitará o pedido.

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Stephen Hadley, disse que Brown garantiu que os ministros de Exteriores da UE fariam hoje um anúncio sobre novas sanções ao Irã.

Os ministros comunitários de Exteriores analisaram hoje com o Alto Representante de Política Externa e Segurança Comum da UE, Javier Solana, sua recente viagem a Teerã para apresentar ao regime islâmico uma oferta de diálogo nuclear de parte do Grupo dos Seis (os cinco membros do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha).

"Hoje houve um debate sem nenhuma discussão de novas sanções", assinalou a porta-voz de Solana, Cristina Gallach, que afirmou que a UE tem uma política de "mão dupla": pressionar através das sanções, e ao mesmo tempo manter o diálogo com Teerã.

Outra fonte diplomática assinalou que uma decisão comunitária sobre a intensificação das sanções neste momento "não faria sentido", já que interferiria na atual tentativa de reabrir o diálogo nuclear com Teerã.

O que a UE está estudando é a aplicação prática das sanções incluídas na resolução 1803 do Conselho de Segurança da ONU, aprovada em 3 de março, e respaldadas pela União Européia.

"O pacote de aplicação das sanções está pronto, mas não será aprovado neste momento", assinalaram as fontes diplomáticas, que ressaltaram que as sanções preparadas pela UE serão mais amplas do que as aprovadas pelas Nações Unidas.

A União Européia já decidiu a aplicação das sanções, inclusive de forma mais ampla, mas ainda não aprovou as modalidades concretas de execução das medidas.

Solana afirmou, ao chegar à reunião dos ministros de Exteriores, que seu encontro, no último sábado, com altos funcionários do Governo iraniano sobre o programa nuclear do país "foi melhor do que esperava".

"Discutimos a oferta. Não vou dizer que aceitaram tudo, mas eles sabem o que têm que fazer. Eles têm que pensar e nos dar uma resposta. Quanto antes melhor", acrescentou o responsável comunitário. EFE rcf/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG