UE não adotará sanções contra Rússia em cúpula sobre crise na Geórgia

Paris, 29 ago (EFE).- A União Européia (UE) não adotará sanções contra a Rússia pelo conflito na Geórgia em sua cúpula extraordinária da próxima segunda-feira, indicaram hoje fontes do Palácio do Eliseu.

EFE |

"Não chegou a hora das sanções", divulgou hoje a Presidência francesa da UE.

Os líderes dos 27 países-membros do bloco, que participarão na segunda-feira, em Bruxelas, da reunião extraordinária convocada pelo presidente francês e da União Européia, Nicolas Sarkozy, insistirão que o acordo de cessar-fogo, de seis pontos, deve ser cumprido em sua totalidade.

Sarkozy, que intermediou esse acordo em 12 de agosto, assinado por Rússia e Geórgia, insistiu há dois dias que as tropas russas devem retirar-se imediatamente para suas posições anteriores ao início das hostilidades na Ossétia do Sul.

O reconhecimento, pela Rússia, da independência das regiões separatistas georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul foi condenado com firmeza por UE, Estados Unidos e outros países ocidentais.

A Casa Branca divulgou, no entanto, que é "prematuro" contemplar sanções americanas contra a Rússia.

"Seguimos em uma fase de diálogo com Moscou, não em uma fase de sanções", indicaram, por sua parte, as fontes do Palácio do Eliseu.

Ontem, o ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, indicou que "alguns países (europeus) proporão sanções, mas outros as rejeitarão", e garantiu que a França não as proporá.

Segundo sua opinião, o mais importante para a UE é mostrar sua "unidade" perante a Rússia.

Os embaixadores dos países da UE, reunidos ontem em Bruxelas para preparar a cúpula da próxima segunda-feira, concordaram que as ações da Rússia na crise são inaceitáveis, e devem ter conseqüências nas relações do país com a Europa, mas em nenhum momento falaram da possibilidade de impor sanções. EFE al/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG