UE expressa profunda preocupação com escalada da violência em Gaza

Bruxelas, 27 dez (EFE).- A União Européia (UE) expressou hoje sua profunda preocupação com a escalada da violência na Faixa de Gaza e lamentou o elevado número de vítimas civis.

EFE |

A Presidência da UE - nas mãos da França -, que já tinha emitido na noite do dia 24 de dezembro uma declaração na qual criticava o lançamento de foguetes contra Israel a partir de Gaza, publicou hoje uma declaração na qual condena os bombardeios israelenses de represália contra o território palestino controlado pelo Hamas.

A Presidência do bloco europeu pediu o fim imediato de todos os bombardeios e condenou "o uso desproporcional da força".

A França lembra em nome dos 27 países da UE que "não há uma solução militar para Gaza" e pede a instauração de "uma trégua duradoura".

Em sua declaração, expressa seu apoio "aos esforços dos países vizinhos, do Egito em particular, que poderiam permitir alcançar esse objetivo".

Também lembra a importância do "pleno respeito do direito internacional humanitário" e faz uma chamada para que "sejam reabertas urgentemente todas as passagens fronteiriças", além da retomada do fornecimento de ajuda humanitária e combustível, e o livre acesso para organizações internacionais e humanitárias, diplomatas e jornalistas.

A comissária de Relações Exteriores da UE, Benita Ferrero-Waldner, exigiu às partes que "coloquem fim à escalada de violência que coloca em risco a população civil".

Pelo menos 195 pessoas morreram e várias centenas ficaram feridas devido ao bombardeio realizado hoje pelo Exército israelense na Faixa de Gaza, como reação ao lançamento de foguetes por grupos armados palestinos contra Israel. EFE jms/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG