UE estuda levar ao Iraque programa de formação de policiais e juízes

Bruxelas, 26 nov (EFE).- A União Européia (UE) estuda levar ao Iraque sua missão de formação e assistência estratégica para policiais e juízes deste país, que até agora acontece em território europeu, disse hoje o diretor do programa, Stephen White.

EFE |

A UE "explorará esta possibilidade se a situação de segurança o permitir", declarou White, que também se mostrou satisfeito pelas atividades realizadas até agora nos Estados-membros.

A missão Eujust Lex oferece cursos de formação para policiais, juízes, investigadores judiciais e diretores de prisões, um programa que começou em julho de 2005 e que foi prorrogado até junho de 2009.

Até o momento, 2.000 representantes policiais, judiciais e penitenciários iraquianos participaram dos cursos dados em 25 países da União Européia.

"Alcançamos os objetivos que fixamos em termos quantitativos, e em nível qualitativo contribuímos para melhorar a segurança e para reforçar o estado de direito no Iraque", declarou o diretor da Eujust.

No entanto, White admitiu que a situação no Iraque "não está normalizada" e disse que o programa constitui um investimento "a longo prazo".

Na quarta fase da missão, que contará com um orçamento de 10 milhões de euros e que terminará em 2009, continuarão os cursos dados na UE e se estudará o desenvolvimento de atividades similares e complementares em território iraquiano.

Uma delas consistiria em "oferecer assessoria estratégica aos gerentes do sistema policial, judicial e penitenciário", mediante a presença "temporária ou permanente" de especialistas comunitários que trabalhariam junto com os responsáveis iraquianos, declarou White.

Outra forma de intervenção seria o acompanhamento "no terreno" dos profissionais iraquianos formados na UE "para supervisionar a aplicação no contexto iraquiano das 'boas práticas' aprendidas", acrescentou.

Para analisar a viabilidade do programa, a UE considerará a situação de segurança no país árabe, mas não "o número de soldados estrangeiros posicionados no país", disse White em referência à possível retirada das tropas americanas em 2011.

A missão tem agora uma "pequena presença" no Iraque, consistente em uma equipe reduzida que assessora as forças de segurança e o sistema judiciário nacional.

Além disso, foram organizados vários seminários em países vizinhos "por motivos de segurança", dos quais participaram especialistas europeus e responsáveis iraquianos, declarou o diretor da Eujust. EFE ahg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG