muito perto de um acordo de clima, diz premiê polonês - Mundo - iG" /

UE está muito perto de um acordo de clima, diz premiê polonês

Por Gabriela Baczynska e Alister Doyle POZNAN, Polônia (Reuters) - A União Européia está muito perto de um acordo sobre um novo pacote climático, que deve ser aprovado em uma cúpula na próxima semana, disse o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, na segunda-feira.

Reuters |

A Polônia depende muito do carvão e vem buscando concessões às vésperas de uma cúpula de líderes europeus, marcada para os dias 11 e 12 de dezembro, na qual devem ser aprovados detalhes de um plano para o corte de emissões de gases causadores do efeito estufa em 20 por cento abaixo dos níveis dos anos 1990 até 2020.

"Estamos muito próximos de obter um acordo", disse Tusk, ao ser indagado sobre as negociações climáticas da UE no dia da abertura da conferência de duas semanas sobre o clima em Poznan, na Polônia.

A Polônia apóia a meta de reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa em um quinto, contanto que isso não implique em gastos muito altos nas usinas de carvão a ponto destas terem que ser fechadas ou repassar preços exorbitantes aos consumidores poloneses.

O plano de comércio de emissões da UE limita as emissões de gás carbônico da indústria pesada distribuindo uma cota fixa de créditos de carbono, a maioria dos quais é concedida a empresas de graça até o momento.

A Polônia discorda de algumas das revisões previstas no plano. O país quer continuar a conceder às usinas de energia alguns créditos gratuitos a partir de 2013 e conter os preços do carbono usando um "corredor de preços" pré-definido.

A coalizão dos novos estados-membros da UE já declarou que a proposta não é suficiente. Seus representantes se reúnem em Gdansk, no norte da Polônia, com o presidente francês Nicolas Sarkozy neste final de semana para tentar fechar um acordo antes da cúpula da UE.

"É por isso que o encontro do dia 6 de dezembro é sob medida para a aprovação do pacote durante a cúpula da União Européia no meio de dezembro, e não para sua rejeição ou adiamento", ainda disse Tusk.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG