UE espera que cúpula do G8 permita avanços em acordo sobre o clima

Bruxelas, 6 jul (EFE).- O português José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia), espera que a cúpula que o G8 (os sete países mais desenvolvidos e a Rússia) inicia na sexta-feira propicie avanços num acordo contra a mudança climática.

EFE |

Em entrevista coletiva, Barroso disse que, para limitar o aquecimento do planeta, é preciso reduzir as emissões de gases poluentes em 50% até 2050.

Os países desenvolvidos têm a "responsabilidade especial" de "assumir a liderança" nesse processo, mas os países em desenvolvimento também têm que cumprir sua parte, destacou.

Na cúpula que a ONU realizará em dezembro, em Copenhague (Dinamarca), os países-membros da organização terão que negociar um acordo substituto ao Protocolo de Kioto, cuja vigência termina no fim de 2012.

Como faltam cinco meses para esse encontro decisivo, ressaltou Barroso, é importante que a cúpula do G8 promova progressos "que facilitem um acordo em Copenhague". Também são necessárias, frisou o português, metas razoáveis que ajudem o mundo a diminuir a liberação na atmosfera de gases causadores do efeito estufa.

Na entrevista, Barroso também classificou como "importante a grande mudança" ocorrida nos Estados Unidos (EUA), onde a Câmara de Representantes recentemente aprovou um projeto de lei para limitar as emissões de gases poluentes.

Outro ponto importante na cúpula do G8 será o debate da iniciativa sobre segurança alimentar, que prevê investimentos de US$ 12 bilhões em desenvolvimento agrícola ao longo de um prazo de três anos.

Quanto às questões econômicas, o presidente da Comissão Europeia espera uma revisão nos acordos sobre regulação financeira selados em abril, durante a cúpula do G20 em Londres, e avanços nos preparativos para a nova reunião desse grupo, prevista para 24 e 25 de setembro, em Pittsburgh (EUA). EFE rcf/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG