Paris, 16 jul (EFE).- A Presidência rotativa da União Européia (UE), atualmente com a França, expressou hoje a esperança de que a aplicação do acordo entre Israel e o Hisbolá para a troca de restos mortais e prisioneiros contribua para reduzir as tensões e para que se alcance uma solução duradoura do conflito.

Em troca de recuperar os restos mortais de dois de seus soldados seqüestrados em 2006, Israel entregou ao grupo xiita libanês cinco prisioneiros e os restos mortais de 197 combatentes.

O ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner, celebrou, em nome da Presidência do Conselho da UE, os esforços do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), do secretário-geral da ONU e da mediação alemã que permitiram a aplicação do acordo de troca.

"Quero esperar que a aplicação deste acordo contribua para uma diminuição das tensões entre as partes" e à aplicação da resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU "para um cessar-fogo completo e uma solução duradoura para o conflito israelense-libanês", afirmou Kouchner em comunicado.

O ministro lamentou a morte dos dois soldados israelenses e afirmou que a UE condenou seu seqüestro "com firmeza" há dois anos.

EFE al/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.