UE envia navios de guerra e aviões contra piratas somalis

A União Européia (UE) lança nesta segunda-feira a primeira operação naval de sua história, com seis navios de guerra e três aviões para enfrentar as ações dos piratas somalis na região do Chifre da África.

AFP |

A operação "Eunavfor Atalanta", a primeira missão naval da história da UE, foi aprovada no dia 10 de novembro pelos ministros da Defesa da UE.

O caráter histórico é reforçado pelo fato de ser a primeira operação comandada por um britânico, o vice-almirante Philip Jones, na defesa da Europa.

A base de operações da missão é o quartel-general britânico de Northwood. Oito países integram a operação, incluindo Reino Unido, Alemanha, França e Espanha.

Sob mandato da ONU, a frota da UE tem três tarefas: escoltar barcos da Marinha mercante, proteger navios do Programa Mundial de Alimentos (PMA) que entregam ajuda humanitária na Somália e "controlar" a zona com o apoio de aviões de patrulha marítima.

O primeiro desafio será garantir a ordem em uma superfície de um milhão de km2 no Oceano Índico e no Golfo de Aden, pelo qual passa uma importante rota marítima, com o trânsito de 30% do petróleo mundial.

A iniciativa européia foi decidida depois que o presidente da Somália, Abdulahi Yusuf Ahmed, destacou que seu país e a comunidade internacional deveriam combater a pirataria no território somali, cenário de uma guerra civil que deixou o país à beira da anarquia.

Quase 30 cargueiros foram seqüestrados no decorrer de 2008, com destaque para a ousada captura do superpetroleiro saudita "Sirius Star", com uma carga de dois milhões de barris de petróleo.

Com isto, algumas empresas passaram a preferir que seus navios naveguem pelo Cabo da Boa Esperança, uma rota mais longa e mais cara.

Além da UE, Índia Rússia e Otan enviaram navios à região.

bur-mar/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG