UE e ONU unirão sistemas de registro de emissões de CO2

Bruxelas, 6 ago (EFE).- A União Européia (UE) e a Organização das Nações Unidas (ONU) acordaram juntar seus sistemas de registro de emissões de dióxido de carbono antes do final do ano, informou a Comissão Européia (CE) em comunicado.

EFE |

Até agora, UE e ONU registravam os direitos e créditos de emissão de carbono das empresas com dois sistemas independentes, o Registro Independente de Transações da Comunidade (CITL) e o Registro Internacional de Transações (ITL).

Os países que se comprometeram a reduzir suas emissões em virtude do Protocolo de Kioto estão autorizados a iniciar projetos de redução das emissões em países em desenvolvimento.

Segundo a CE, estes projetos geram "créditos vendíveis de reduções certificadas de emissões", cada um dos quais equivale a uma tonelada de dióxido de carbono e podem ser utilizados para compensar os níveis de emissão.

A novidade gerada pela conexão dos dois registros é facilitar a transferência de unidades de redução às empresas que decidam investir em países em desenvolvimento como método para diminuir suas emissões.

Segundo o comissário do Meio Ambiente da UE, Stavros Dimas, "a conexão do registro de créditos de carbono da ONU consolidará ainda mais a liderança da Europa no mercado mundial de carbono".

Em maio, foram realizados testes com procedimentos em que participaram cinco Estados-membros e, em julho, fizeram as provas todos os países da UE além de Rússia, Japão e Nova Zelândia.

Para efetuar a conexão serão suspensas todas as operações de registro durante um período máximo de sete dias. EFE mrn/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG