UE e Centro Carter dizem que erros em referendo na Bolívia não afetam resultados

LA PAZ - As missões de observadores eleitorais da União Europeia (UE) e do Centro Carter reconheceram alguns erros no referendo constitucional da Bolívia, mas disseram que eles não questionam seu resultado. Segundo dados provisórios, o Sim à nova Constituição, impulsionada pelo presidente Evo Morales, saiu vencedor.

EFE |

Em seus relatórios preliminares, as duas missões afirmaram que o censo eleitoral boliviano deve ser revisado, mas também parabenizaram a Corte Nacional Eleitoral (CNE) por seu trabalho e destacaram que os erros não afetaram o resultado do referendo.

Com 71% da apuração oficial, o texto constitucional foi aprovado por 1.479.218 de votos (59,2%), contra uma rejeição de 1.017,342 (40,7%), segundo dados da CNE.

O chefe da missão do Parlamento Europeu, Manuel Medina Ortega, assinalou nesta terça-feira como um dos principais problemas "o processo de elaboração do censo eleitoral", mas disse que "as observações não permitem questionar o resultado do referendo".

O relatório do Centro Carter assinala como "de grande importância que a CNE realize um minucioso controle do recenseamento", mas também parabenizou o organismo eleitoral pela "incorporação de novos mecanismos de segurança".

Jennifer McCooy, chefe da missão enviada pela instituição presidida pelo ex-presidente americano Jimmy Carter, disse que o censo "precisa ser melhorado", mas reconheceu os esforços da CNE nesse sentido.

"Em nenhum país do mundo o censo é 100% correto. Sempre há erros no censo. O desafio é conseguir a porcentagem mais alta possível segundo as condições do país", acrescentou.

Leia também:


Leia mais sobre Bolívia

    Leia tudo sobre: boliviabolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG