UE diz que só revisa sanções se o Governo do Zimbábue dividir poder

Bruxelas, 19 mar (EFE).- A União Europeia (UE), cuja Presidência semestral atualmente é exercida pela Republica Tcheca, afirmou hoje que o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, deve dar um poder substancial ao Governo de união nacional recém-constituído caso queira uma revisão nas sanções impostas ao regime.

EFE |

"Se Mugabe der poderes substanciais aos ministros escolhidos democraticamente, conseqüentemente poderemos revisar as sanções e decidir como suspendê-las. Mas não poderemos fazer isso imediatamente", disse o ministro de Assuntos Exteriores tcheco, Karel Schwarzenberg.

O Governo de união nacional, integrado pela União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF) - à qual pertence Mugabe - e pelo Movimento para a Mudança Democrática (MDC) - do primeiro-ministro Morgan Tsvangirai -, busca reconstruir a devastada economia do país.

Até o momento, Mugabe limitou-se a delegar ao MDC um papel menor no Governo. EFE met/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG