UE diz que alimentos suínos que chegam ao consumidor são seguros

Bruxelas, 7 mai (EFE).- A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) afirmou hoje que é seguro consumir todos os produtos suínos que chegam aos consumidores, principalmente no bloco europeu, por isso não devem mudar as declarações dos organismos científicos a respeito, segundo a porta-voz de Saúde europeia, Nina Papadoulaki.

EFE |

O órgão da União Europeia (UE) reagiu assim às declarações do diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) Jorgen Schlundt, divulgadas pela imprensa, nas quais diz que é possível que o vírus da gripe sobreviva em carne de porcos doentes depois do processo de congelamento, e por isso não deve ser usada para o consumo humano.

A porta-voz europeia disse que "todos os produtos suínos que chegam aos consumidores são seguros, especialmente na União Europeia (UE), onde são aplicados os controles mais rigorosos".

Papadoulaki acrescentou que, neste ponto, "não deve ser feita uma distinção entre produtos crus ou cozidos do porco".

A porta-voz comunitária ressaltou que a gripe é uma doença transmitida entre humanos e animais por via respiratória, e não se propaga através dos alimentos.

Destacou que os dados disponíveis sobre o caso de uma fazenda no Canadá, com animais que pegaram a gripe de humanos, "não indicam que haja nenhuma mudança na patogênese ou na epidemiologia da doença que levem a modificar as declarações das organizações internacionais".

Neste sentido, referiu-se às opiniões oficiais da Organização Mundial para a Saúde Animal (OIE), da própria OMS ou da organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), que indicam que é seguro comer carne de porco e derivados.

Papadoulaki ressaltou que as restrições ao comércio de produtos do porco, como as aplicadas pela Rússia aos envios espanhóis, "não são justificadas", nem com base no caso do Canadá. EFE ms-ahg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG