Jacarta, 25 mar (EFE).- O enviado especial para Mianmar da União Europeia (UE), Piero Fassino, assegurou hoje que o bloco está preparado para suspender as sanções à Junta Militar birmanesa, caso sejam dados os passos necessários para democratizar o país.

Na coletiva de imprensa que encerrou sua visita de dois dias a Jacarta, Fassino ressaltou que as sanções são "um instrumento e não um objetivo".

A UE estuda atualmente a renovação das sanções administrativas e econômicas que impôs a Mianmar em abril de 2008.

"Estamos preparados para suspender as sanções caso sejam dados passos positivos na evolução da situação do país", disse o enviado especial, em relação à realização de eleições democráticas em 2010.

No entanto, reconheceu que os avanços não foram suficientes e que a Junta Militar prepara o processo eleitoral de forma "unilateral".

O regime militar que governa Mianmar não reconheceu os resultados das últimas eleições parlamentares, realizadas em 1990 e nas quais perdeu de forma arrasadora para a Liga Nacional para a Democracia (LND), da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, em prisão domiciliar desde 2003. EFE jpm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.