Bruxelas, 16 set (EFE).- O grupo de analistas de proteção de dados da União Européia (UE) considerou hoje que os recentes compromissos do Google com a Comissão Européia (CE) são insuficientes para que a empresa cumpra as leis européias.

Na semana passada, o Google havia anunciado à CE que desceria de 18 para nove meses o período de armazenamento de informação buscada por usuários, e que em sua página principal haveria informação sobre sua política de privacidade.

O presidente do grupo de trabalho formado por responsáveis de proteção de dados dos 27 países-membros do bloco, Alex Türk, assinalou em comunicado sua satisfação com "esta melhora".

No entanto, ressaltou que segue havendo "fortes diferenças" com o Google apesar do aumento de sua cooperação com as autoridades comunitárias.

Türk disse que o Google "considera a lei européia de proteção de dados não aplicável", inclusive se tem servidores e sedes na Europa.

Também apontou que a empresa quer reter os dados de seus usuários além do período de seis meses solicitados por este grupo, segundo ele, "sem nenhuma justificativa".

Ele criticou também o fato de o Google não fazer melhoras em seus mecanismos para ajudar no anonimato de seus usuários, sistemas que, para ele, "ainda são insuficientes".

Na semana passada, a empresa americana anunciou à CE seus novos compromissos, que foram amparados pelo Executivo comunitário como "um passo na boa direção", inclusive se a UE quiser recomendar um tempo de retenção de dados de seis meses. EFE rcf/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.