Bruxelas, 8 ago (EFE).- A Comissão Européia (CE) divulgará a maioria das normas de segurança aérea da União Européia (UE), inclusive a lista de objetos proibidos a bordo de aviões, após as várias críticas recebidas pelo sigilo mantido até agora.

Segundo a UE, mesmo assim, permanecerão em segredo os detalhes considerados "sensíveis", como os padrões mínimos de segurança nos aeroportos.

Objetos afiados ou pontiagudos, armas de fogo ou de qualquer outro tipo, substâncias químicas e inflamáveis são alguns dos objetos que não poderão ser transportado na bagagem de mão, segundo o regulamento que a CE publicará no Diário Oficial da UE.

Segue estritamente limitado o transporte de líquidos na bagagem de mão. Segundo as regras, estes produtos devem estar em recipientes de tamanho regulado e em bolsas transparentes perfeitamente fechadas.

Nenhuma destas proibições é nova, mas até agora não eram de domínio público o que tornava os controles lentos e gerava dúvidas.

Quando as normas foram adotadas "se decidiu mantê-las fora do domínio público por razões de segurança", afirmou em comunicado o comissário de Transportes da UE, Antonio Tajani.

De acordo com Tajani, agora, mais de cinco anos depois da promulgação das primeiras normas, "a experiência adquirida" permite uma postura "mais transparentes sem prejudicar a segurança".

A controvertida normativa foi aprovada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho da UE no final de 2002, dentro da estratégia de luta contra o terrorismo iniciada após os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, e posteriormente completada após os atentados frustrados nos aeroportos no verão de 2006. EFE mrn/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.