urgente para RDC - Mundo - iG" /

UE descarta força de paz e pede ajuda humanitária urgente para RDC

Paris, 2 nov (EFE).- Os ministros de Assuntos Exteriores da França, Bernard Kouchner, e do Reino Unido, David Miliband, pediram hoje ajuda humanitária urgente para o leste da República Democrática do Congo (RDC), mas não reivindicaram uma força européia de interposição.

EFE |

Kouchner e Miliband visitaram nos últimos dias a região, afetada por uma crise humanitária após um conflito armado provocado por um levante rebelde.

Em comunicado conjunto, Kouchner e Miliband pediram que a comunidade internacional ajude de forma "urgente" a região.

"As necessidades humanitárias imediatas são evidentes (...). As urgências em alimentação, água, moradia e cuidados médicos devem ser cobertas graças à mobilização internacional", afirmaram no comunicado.

Os ministros também pedem a garantia da segurança nas rotas que permitirão a chegada de ajuda à província congolesa de Kivu Norte, onde a maior parte dos campos de refugiados está isolada e é de difícil acesso, mas não citaram o desdobramento de nenhuma força de paz internacional.

A França, que preside a União Européia (UE) este semestre, tinha sugerido nos últimos dias o envio de uma força européia de intervenção para apoiar os capacetes azuis da ONU desdobrados na RDC.

Para fazer essa ajuda chegar é "preciso uma coordenação local e internacional, pois, sem uma nova e enérgica determinação da comunidade internacional, a crise pode se agravar ainda mais", disseram.

Depois de se reunir com os presidentes da RDC, Joseph Kabila; de Ruanda, Paul Kagame; e da Tanzânia, Jakaya Kikwete, que exerce a Presidência da União Africana (UA), Kouchner e Miliband reivindicaram a "consolidação" do cessar-fogo assinado na quarta-feira.

Os ministros europeus destacaram que os acordos assinados em Nairóbi em novembro de 2007 e em Goma, capital de Kivu Norte, em janeiro deste ano constituem uma "boa base" para recuperar o caminho em direção à paz.

Kouchner e Miliband pediram ao Governo da RDC que "recupere o controle de suas Forças Armadas para poder cumprir seus compromissos" e estabelecer vias de comunicação com todas as comunidades do país e com seus vizinhos.

Os dois também reivindicaram a Ruanda a adoção de "medidas efetivas" para o cumprimento dos acordos de Nairóbi.

"Todos os Estados da região devem fazer sua parte para promover a paz, desenvolver a ajuda humanitária e facilitar o processo político", disseram.

Em seu encontro com Kikwete, os ministros francês e britânico concluíram o "compromisso comum da UE e da UA para trabalharem juntas na organização de um encontro internacional que dará novo impulso ao cumprimento dos acordos de Nairóbi e Goma".

Os ministros europeus respaldaram a decisão do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, de nomear um enviado especial à região, e pediram o reforço da Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monuc).

Kouchner e Miliband informarão os ministros de Assuntos Exteriores europeus sobre a situação na RDC na reunião informal de amanhã em Marselha (França). EFE lmpg/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG