UE dará uma resposta comum aos EUA para receber prisioneiros de Guantánamo

Bruxelas, 26 jan (EFE).- A União Europeia (UE) dará uma resposta comum aos Estados Unidos caso solicite ajuda para receber prisioneiros de Guantánamo, embora a decisão final seja tomada em nível nacional por cada país de acordo com a situação pessoal de cada interno, informaram hoje os ministros de Relações Exteriores do bloco.

EFE |

"A questão de se os Estados-membros podem aceitar ex-prisioneiros é uma decisão nacional, mas os ministros coincidiram no desejo de uma resposta política comum", declarou o ministro de Relações Exteriores da República Tcheca, Karel Schwarzenberg, em entrevista coletiva.

Portanto, os ministros decidiram "explorar" a possibilidade de uma ação coordenada europeia neste assunto, embora primeiro seja necessário solucionar várias questões jurídicas, um processo que durará "vários meses", acrescentou.

Schwarzenberg, cujo país exerce a Presidência rotativa da UE, reconheceu que "ninguém estava muito entusiasmado com a ideia" de receber alguns dos prisioneiros de Guantánamo, mas disse que para a Europa se trata de "uma oportunidade" para reforçar sua cooperação antiterrorista com os EUA.

O ministro reconheceu que em alguns países da UE "não há possibilidade legal" de receber detidos, e que em outros é necessário estudar assuntos legais como "sobre quais pessoas estamos falando e qual vai ser seu status final", em uma discussão que envolverá também os ministros de Justiça e Interior da UE.

O ministro de Relações Exteriores britânico, David Miliband, declarou que todos os ministros deram "calorosas boas-vindas" ao anúncio do presidente Barack Obama de fechar Guantánamo e outros países "fizeram patente seu compromisso" de tentar acolher alguns dos detidos. EFE rcf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG