UE condena uso de passaportes europeus em assassinato em Dubai

Bruxelas, 22 fev (EFE).- A União Europeia (UE) condenou hoje de forma firme o uso de passaportes e cartões de crédito de países europeus na operação de assassinato de Mahmoud al-Mabhuh, um dos dirigentes do Hamas.

EFE |

Os ministros de Assuntos Exteriores da UE aprovaram hoje uma declaração em que se afirma também que o assassinato, cometido em Dubai em 20 de janeiro, é uma ação que não pode minar a paz e a estabilidade no Oriente Médio.

No entanto, o texto estipulado não inclui nenhuma menção a Israel, principal suspeito do assassinato e cujo chanceler, Avigdor Liberman, se reuniu hoje com vários ministros do bloco europeu.

"A UE condena firmemente o fato de os envolvidos na ação terem usado passaportes e cartões de crédito de Estados-membros da UE", assinala o texto dos ministros europeus, que ainda não foi divulgado oficialmente.

As autoridades de Dubai identificaram 11 suspeitos do assassinato de Mabhuh. Eles viajaram para o emirado com passaportes de Reino Unido, Irlanda, França e Alemanha.

A UE assegura que o passaporte comunitário ainda é um dos mais seguros do mundo, pois incluem diversas medidas de segurança "para evitar a falsificação e uso indevido". EFE rcf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG