Bruxelas, 17 jul (EFE).- A União Europeia (UE) condenou unanimemente os brutais e covardes atentados cometidos hoje contra dois hotéis de Jacarta, nos quais morreram nove pessoas e cerca de 50 ficaram feridas.

A Presidência sueca da UE mostrou, em comunicado, sua repulsa em relação a estes "brutais atos" e expressou sua simpatia e solidariedade às famílias das vítimas "neste momento tão difícil".

O alto representante para Política Externa e Segurança Comum da União Europeia, Javier Solana, afirmou, em outra nota, que está "profundamente impressionado" pelos ataques que, "de novo", transformaram a Indonésia em "vítima do terrorismo".

"Condeno firmemente os atentados com bombas em Jacarta, que cobraram a vida de pessoas inocentes e feriram muitas outras", disse.

Solana ressaltou que os atentados também foram um ataque "ao povo da Indonésia e seu apego à democracia".

"A UE apoia o povo e o Governo da Indonésia em sua missão de levar os responsáveis deste covarde ato de terror perante a Justiça", enfatizou.

Além disso, expressou seus pêsames às famílias dos mortos e desejou uma pronta recuperação aos feridos.

O presidente da Comissão Europeia (órgão executivo da UE), José Manuel Durão Barroso, disse ter ficado "horrorizado" ao saber da notícia dos atentados "contra civis inocentes", a maior parte deles turistas estrangeiros.

"Em nome da Comissão Europeia, condeno estes assassinatos nos termos mais fortes possíveis e envio minhas condolências ao Governo, ao povo da Indonésia e aos outros países dos que são originárias as vítimas", disse.

"Os que cometeram estes crimes atrozes devem ser encontrados e levados à Justiça", concluiu. EFE rja/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.