UE condena execução de 29 pessoas no Irã

Bruxelas, 29 jul (EFE).- A União Européia (UE) condenou hoje a execução de 29 pessoas na prisão de Evin, em Teerã, e pediu ao Governo iraniano que pare de aplicar a pena de morte.

EFE |

A Presidência rotativa da UE, ocupada pela França, explicou em comunicado que a morte destas pessoas "afronta a dignidade humana".

A UE está convencida de que a pena capital não pode fazer parte do sistema judiciário já que "seu caráter dissuasivo nunca foi provado e qualquer erro judicial é irreversível".

"As autoridades iranianas têm que pôr fim às sentenças de morte e às execuções" e respeitar a resolução de dezembro de 2007 das Nações Unidas e os padrões internacionais sobre Direitos Humanos, insistiu a Presidência.

O Irã aplica uma estrita versão da lei islâmica (Sharia) e impõe a pena capital para casos de narcotráfico, homossexualismo e violação, enquanto as mulheres e os homens casados considerados culpados de adultério são condenados à morte por apedrejamento.

Durante 2007, foram executadas 5.851 penas de morte no mundo, apesar de o número de países que mantém esta sentença ter caído para 49, segundo dados da organização italiana Nessuno Tocchi Caino, dedicada a combater a pena capital. EFE mrn/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG