UE aprova suspensão parcial de sanções contra Belarus

Luxemburgo, 13 out (EFE).- A União Européia (UE) deu hoje um sinal a Belarus ao aprovar a suspensão parcial de suas sanções contra o regime do presidente Alexander Lukashenko por práticas antidemocráticas.

EFE |

Os ministros de Exteriores concordaram em suspender durante seis meses a proibição de que alguns responsáveis oficiais, entre eles o próprio Lukashenko, viajem para territórios da UE, disseram fontes comunitárias.

Por outro lado, permanecem as sanções para pessoas ligadas a algumas desaparições de opositores em 1999 e 2000, assim como para a presidente da Comissão Eleitoral de Belarus, Lidia Ermoshina.

Na prática, as sanções afetarão a partir de agora cinco pessoas com acusações no regime de Minsk (capital de Belarus), em comparação com as 41 de antes, acrescentaram as fontes.

No entanto, todas estas pessoas continuarão sofrendo o congelamento de possíveis bens que possam ter em território da UE.

Depois de seis meses, esta decisão será revisada para ver se houve alguma melhora no país, considerado a última ditadura da Europa.

Os ministros de Exteriores da UE realizarão esta tarde uma reunião com o ministro de Exteriores de Belarus, Sergei Martynov, na primeira reunião de alto nível entre ambas as partes desde 2004.

A decisão comunitária acontece dois meses após a libertação de todos os presos políticos em Belarus, inclusive a do líder opositor Alexander Kozulin.

A UE aprovou três rodízios de sanções políticas contra Belarus, a última delas após as fraudulentas eleições presidenciais de 2006.

Nas eleições legislativas do último dia 30, os candidatos governistas conseguiram 110 cadeiras, mas a missão da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (Osce) criticou a falta de liberdade no pleito. EFE rcf/fh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG