UE aprova retirada gradual das medidas de estímulo econômico

Bruxelas, 16 mar (EFE).- Os 27 países-membros da União Europeia (UE) aprovaram hoje o início da retirada gradual das medidas de estímulo econômico adotadas no final de 2008 para amenizar os efeitos da crise e estimular a recuperação do mercado de trabalho e do setor financeiro.

EFE |

"Já é hora de preparar a estratégia de saída e acordamos a sequência. Começaremos com a retirada das medidas de apoio setorial" como as destinadas ao automóvel, explicou hoje Elena Salgado, vice-presidente do Governo da Espanha, país que exerce a Presidência da UE e que presidiu a reunião de ministros de Finanças, Ecofin, em Bruxelas.

Segundo o texto estipulado hoje, as medidas de apoio ao financiamento das atividades econômicas "deverão se subordinar à capacidade das entidades financeiras de oferecer créditos adequados às empresas solventes".

A retirada das medidas de apoio ao mercado de trabalho deve ser iniciada "assim que a recuperação seja assegurada, o que ocorrerá a partir da segunda metade de 2010 em toda a UE", embora o calendário preciso dependa da situação de cada país.

O Conselho pediu à Comissão que elabore um relatório sobre a evolução do processo de eliminação dos estímulos antes da reunião do próximo mês de maio.

Em último lugar, será feita a desativação das medidas de apoio ao setor financeiro, o que se examinará na cúpula de chefes de Estado e de Governo no Conselho Europeu, a ser realizada em junho.

"Em quanto isso, no setor financeiro, insistimos que se deve começar uma estratégia transparente", disse Salgado.

O comissário de Assuntos Econômicos e Monetários do bloco, o finlandês Olli Rehn, explicou que os princípios da estratégia de saída adotados hoje "pretendem que haja um equilíbrio dos riscos que afetam tanto agora como agora como depois que forem abandonadas as medidas de apoio". EFE mgs/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG