UE aprova plano de trabalho para a paz e a assistência humanitária em Gaza

BRUXELAS - A União Europeia (UE) aprovou nesta segunda-feira um plano de ação para alcançar a paz no território palestino que insta Israel a reabrir as fronteiras da Faixa de Gaza e a interromper sua política de assentamentos, além de apoiar um governo de consenso entre facções, liderado pela Autoridade Nacional Palestina (ANP), como passo necessário para garantir a assistência humanitária.

Redação com EFE |


Segundo informação dada à agência Efe por fontes diplomáticas comunitárias, entre as áreas prioritárias do plano aprovado pelo Conselho de Assuntos Gerais e Relações Exteriores está também a assistência técnica para evitar o tráfego de armas em Gaza, como exige Israel.

Além disso, prevê o envio de uma missão da UE para avaliar a destruição durante a ofensiva, que trabalhará em coordenação com a ONU e o Banco Mundial. Uma conferência sobre a ajuda necessária para a reconstrução da área que será realizada no final de fevereiro no Egito.

AP
Homem passa por construção destruída em Gaza

Homem passa por construção destruída em Gaza

O plano de trabalho resume as conclusões dos encontros da última semana dos ministros de Relações Exteriores da UE e do alto representante de Política Externa e de Segurança Comum da União Europeia, Javier Solana, com os governos de Israel e da ANP, junto com outros países árabes.

Para a UE, a abertura de passagens fronteiriças na Faixa de Gaza não deve ser apenas pontual, e pede também que sejam interrompidas as restrições para a entrada de materiais como cimento, com o argumento de que pode servir para fabricar armas.

Nesta segunda, Solana inicia uma viagem que o levará a Egito, Jordânia, Israel e ao território palestino, para defender as políticas europeias para a paz no Oriente Médio.

Leia mais sobre: Hamas

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG