UE afirma que teste de míssil do Irã é uma preocupação

GOTEMBURGO, Suécia (Reuters) - O chefe de política externa europeia, Javier Solana, manifestou preocupação nesta segunda-feira sobre o último teste nuclear do Irã. Tudo que foi feito nesse contexto é uma preocupação, afirmou Solana, que irá encabeçar a delegação ocidental em conversas com o Irã em Genebra na quinta-feira.

Reuters |

Anteriormente na segunda-feira, o Irã testou um míssil que analistas de defesa afirmam pode atingir bases israelenses e norte-americanas no Golfo, uma medida que deve provocar as potências mundiais antes das conversas de quinta-feira.

Na semana passada Solana afirmou que a notícia de que Teerã está construindo uma segunda usina de enriquecimento de urânio é algo a ser resolvido "imediatamente" com a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA), afirmou o órgão regulador nuclear da ONU.

Quando perguntado sobre as sanções que o Irã pode enfrentar caso não cumpra com os pedidos do Ocidente sobre seu programa nuclear, Solana colocou que "não é o momento para falar sobre isso".

Falando nos bastidores de um encontro dos ministros de Defesa da União Europeia na Suécia, ele afirmou que o objetivo das conversas de quinta-feira é "compromisso".

As potências ocidentais exigem que o Irã abandone seu programa nuclear, que eles acreditam visar o desenvolvimento de armas nucleares, mas que, segundo o Irã, possui finalidade de prover energia. As potências ofereceram incentivos se o Irã cumprir os pedidos e ameaçou com mais sanções caso não o faça.

O Irã rejeitou as condenações ocidentais da construção da usina, afirmando que a unidade perto da cidade sagrada de Qom é legal e aberta a inspeções da IAEA.

(Reportagem de David Brunnstrom e Mia Shanley)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG