Ucranianos escolhem presidente em segundo turno apertado

Por Yuri Kulikov e Sabina Zawadzki KIEV (Reuters) - Ucranianos elegerão neste domingo um novo presidente em uma disputa de segundo turno entre a primeira-ministra Yulia Tymoshenko e o líder de oposição Viktor Yanukovich que pode trazer uma nova rodada de instabilidade ao país.

Reuters |

Analistas prevêem uma vitória apertada para Yanukovich, mas Tymoshenko já ameaçou promover protestos, em um replay da "Revolução Laranja" de 2004, se considerar a votação injusta.

O resultado determinará a relação da ex-república soviética de 46 milhões de habitantes com a Rússia, que se deteriorou com o presidente Viktor Yushchenko, pró-Ocidente, e também definir a velocidade da europeização do país.

Qualquer questionamento ao resultado eleitoral prejudicará a confiança na economia afetada pela crise e atrasar conversações com o Fundo Monetário Internacional, que suspendeu seu plano de resgate de 16,4 bilhões de dólares após a quebra de promessas de controle de gasto público.

A euforia de 2004, quando protestos derrubaram resultados fraudulentos que davam vitória a Yanukovich, desapareceu após anos de confrontos internos da elite política Laranja que paralisaram o processo legislativo.

Na capital, que tradicionalmente é favorável a Tymoshenko, reina um sentimento de frustração e cansaço.

"Seria terrível votar em Tymoshenko. Seria uma vergonha votar em Yanukovich," disse Natalya Zhuk, 27 anos. "Nada nesse país mudará nos próximos cinco anos."

Yanukovich teve 10 por cento a mais de votos do que Tymoshenko no primeiro turno, em 17 de janeiro.

Ambos os candidatos dizem querer aprofundar a integração com a Europa e também melhorar as relações com Moscou, mas Tymoshenko é considerada mais entusiasmada com a União Europeia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG