Ucrânia propõe cooperação para escudo antimísseis

O Ministério do Exterior da Ucrânia anunciou neste sábado que o país está disposto a cooperação com outros países europeus no desenvolvimento de um sistema conjunto de defesa antimísseis. O anúncio foi feito na mesma semana em que a Ucrânia, após iniciada a ofensiva russa na Geórgia, anunciou restrições na movimentação de navios de guerra e aviões russos estacionados na Criméia - uma ilha ucraniana onde a Rússia mantém a base de sua frota que opera no Mar Negro.

BBC Brasil |

A Ucrânia passou a exigir que os russos peçam permissão a Kiev antes de movimentar sua frota.

Também nesta semana, a Polônia fechou com os Estados Unidos um acordo para instalação em território polonês de parte de um sistema de defesa antimísseis americano que vem sendo bastante criticado pela Rússia.

Otan
Em janeiro, o Parlamento da Rússia aprovou a retirada do país de um acordo bilateral com a Ucrânia no tocante a radares de defesa, em resposta à decisão da Ucrânia de pedir a adesão à Otan.

O Ministério do Exterior ucraniano disse que o fim desse acordo significa que a Ucrânia poderia colaborar com outros países em relação a sistema de defesa antimísseis.

Segundo um analista da BBC, o anúncio da Ucrânia mostra que aumentou a pressa do governo do país para estreitar os laços com países do Ocidente devido ao medo do que a Rússia possa fazer a seguir, depois da invasão da Geórgia.

O analista disse que tudo que aconteceu na Geórgia leva os Ucranianos a crer que a Rússia está determinada a evitar que mais um de seus vizinhos venha a se juntar à Otan.

A Rússia parece acreditar que os países da Otan são parte da esfera de influência americana, apesar da insistência do presidente americano, George W. Bush, em dizer que se trata apenas de uma aliança de países soberanos e democráticos na área da defesa.

Nesta semana, o presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, esteve em Tbilisi, a capital da Geórgia, para manifestar seu apoio ao colega georgiano, Mikhail Saakashvili, depois que os russos iniciaram a incursão em território georgiano

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG