Kiev, 30 jul (EFE).- O Governo ucraniano pediu hoje assistência à comunidade internacional para combater os problemas gerados pelas inundações que afetam o oeste do país, as piores dos últimos 100 anos na Ucrânia.

O Executivo pediu ao Ministério de Assuntos Exteriores que entre em contato com organizações internacionais e Governos de outros países para solicitar ajuda frente às inundações, que em uma semana já deixaram pelo menos 30 mortos.

O Parlamento se reunirá em urgência na quinta-feira para aprovar uma lei apresentada pelo presidente Viktor Yushchenko que declara as seis regiões afetadas zonas de desastre natural.

O Governo encaminhou ao Legislativo um projeto de emendas ao orçamento que destina fundos adicionais para lutar contra os problemas gerados pelas inundações e prestar ajudas aos desabrigados.

A primeira-ministra ucraniana Yulia Timoshenko declarou que o Executivo precisa de pelo menos US$ 800 milhões para atenuar as conseqüências do desastre natural.

Segundo o Ministério de Emergências, quase 20 mil pessoas tiveram que ser evacuadas nas seis regiões afetadas, onde permanecem tomadas pelas águas 38.215 casas e onde mais de 57 mil hectares de terras de cultivo já foram destruídos.

O ministro de Emergências Vladimir Shandra informou que as famílias das vítimas receberão uma compensação de US$ 20 mil, segundo a agência de notícias "Unian".

Timoshenko disse que as autoridades começaram a avaliar os danos e iniciam o pagamento de compensações aos desabrigados.

Ele explicou que os que perderam suas casas receberão US$ 1.000 e os que precisam de reparos US$ 200 e US$ 500, em função do prejuízo.

Segundo a primeira-ministra, o ciclone balcânico que trouxe as chuvas torrenciais à Ucrânia já passou e "as águas começam a retroceder". EFE bk/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.