Ucrânia nega ter fornecido armas à Geórgia durante conflito com Rússia

KIEV - As autoridades ucranianas negaram hoje ter fornecido armamento à Geórgia durante o conflito travado por esse país e a Rússia em agosto passado pelo controle da região separatista georgiana da Ossétia do Sul.

EFE |

"Os exportadores ucranianos não fizeram, durante o conflito russo-georgiano, operações de fornecimento de armamento à Geórgia", informa em comunicado o grupo de trabalho interministerial criado para investigar o caso.

Reuters

A nota ressalta que a Ucrânia, em hipótese alguma, "enviou armas à Geórgia sob o disfarce de carregamentos humanitários".

O grupo de trabalho chegou a estas conclusões após uma "análise exaustiva" da cooperação técnico-militar entre os dois países.

O último carregamento enviado pela Ucrânia à Geórgia, em virtude do contrato bilateral de venda de armamento assinado em 2007, foi de material pirotécnico, ou seja, não militar.

Essa carga chegou ao porto georgiano de Poti (Mar Negro) em 8 de agosto, dia do início das hostilidades, e permaneceu na baía até o fim do conflito.

Acusações infundadas

Além disso, o comunicado chama de "infundadas" as acusações sobre a presença de especialistas militares ucranianos em território georgiano durante a guerra.

AP

O grupo de trabalho assegura que várias corporações vinculadas ao setor militar enviaram 17 especialistas civis à Geórgia, mas que estes deixaram solo georgiano no mesmo dia em que o conflito começou.

No início de outubro, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, qualificou de "crime" o fornecimento de armas por parte da Ucrânia à Geórgia durante o confronto.

"Que o fornecimento tivesse ocorrido durante as ações militares e fosse administrado por especialistas ucranianos é um crime", disse Putin durante uma entrevista coletiva junto à primeira-ministra ucraniana, Yulia Timoshenko.

A oposição ucraniana, que acusa o presidente do país, Viktor Yushchenko, de prejudicar as relações com Moscou ao apoiar abertamente Tbilisi, denuncia que a venda de armamento ucraniano à Geórgia poderia ter afetado a segurança do país.

A própria Timoshenko pediu a abertura de uma investigação sobre a suposta venda de armas ucranianas à Geórgia a preços abaixo do mercado.

A Rússia afirma que a Ucrânia foi, durante os últimos anos, a maior exportadora de armas à Geórgia.

Leia mais sobre: conflito na Geórgia

    Leia tudo sobre: georgiarússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG