UBS vai pagar 780 milhões de dólares aos EUA por evasão fiscal

O banco suíço UBS aceitou pagar 780 milhões de dólares à justiça americana por evasão fiscal, e ficou também de divulgar as identidades dos clientes aos quais ajudou a sonegar, anunciou nesta quarta-feira o departamento de Justiça dos Estados Unidos.

AFP |

O departamento de Justiça havia aberto investigação sobre o UBS, após obter provas de que diretores do banco ofereciam a americanos ricos a possibilidade de abrir contas no exterior que lhes permitiam omitir lucros milionários e sonegar impostos.

No acordo, o UBS admite "ter ajudado contribuintes americanos a esconder contas bancárias" da Receita federal, destaca o departamento de Justiça.

O UBS também "aceitou fornecer imediatamente as identidades e as informações bancárias de seus clientes suspeitos" de sonegação, revela o departamento de Estado.

Segundo o jornal suíço Le Temps, o UBS pode entregar às autoridades os nomes de até 250 clientes ricos que moram nos EUA.

Há alguns meses, o UBS revelou a uma comissão legislativa que administrava na Suíça cerca de 19 mil contas de clientes americanos não declaradas à Receita dos EUA.

"Este acordo é uma etapa-chave nos esforços para dar mais segurança aos contribuintes que respeitam a lei e pagam seus impostos", destacou o departamento.

"Os dirigentes do UBS sabiam que violavam a lei", mas "continuaram com sua atividade e, inclusive, deram instruções a seus funcionários para promover esta atividade", afirmou o departamento de Justiça.

O banqueiro americano Bradley Birkenfeld, que também era executivo do UBS, declarou-se culpado em junho de participar do esquema de sonegação.

Birkenfeld, que desde então colabora com a Justiça americana, reconheceu que, entre 2001 e 2006, fazia contatos nos EUA para ajudar milionários a esconder seus ativos no exterior e burlar o Fisco.

aa/sd/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG