UA decide suspender sanções à Mauritânia após golpe

Sirte (Líbia), 1 jul (EFE).- O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) decidiu suspender todas as sanções que tinha imposto à Mauritânia após o golpe de Estado registrado nesse país em agosto de 2008, informou hoje o responsável desse órgão, Ramadan Lamamra.

EFE |

A decisão de suspender as sanções foi adotada durante uma sessão a portas fechadas do Conselho na cidade líbia de Sirte, onde hoje começou a cúpula de chefes de Estado e do Governo da UA, com a ausência do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que foi convidado à mesma.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participará hoje como orador convidado na sessão inaugural, na primeira vez em que um chefe de Estado latino-americano assiste a uma cúpula africana.

"Após um longo debate, o Conselho de Paz e Segurança tomou a decisão de suspender essas sanções, e a Mauritânia pode retomar imediatamente suas atividades dentro da UA de maneira ordinária", disse Lamamra.

A organização pan-africana tinha decidido, em 22 de dezembro de 2008, impor sanções "contra os membros civis e militares da Junta que tomou o poder na Mauritânia", depois que o general Mohammed Ould Abdelaziz depôs em um golpe militar, em 6 de agosto daquele ano, o presidente eleito do país, Sidi Ould Cheikh Abdallahi. EFE fa-sk-jg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG